Investimentos: por onde começar?

Olá pessoal,

Acredito que este seja um dos temas mais bacanas de se escrever sobre, pois pula toda a parte chata de entender melhor as finanças e foca em algo mais prático.

Além disso, foi o tema de maior interesse nos questionários que realizei durante minha pós-graduação, o que me leva a pensar que apesar de grande parte da população não poupar ou investir constantemente, ainda assim há muita curiosidade sobre o assunto.

Para não ficar um post muito longo, gostaria que todos que tem interesse em iniciar seus investimentos dessem uma lida antes nos artigos onde falo sobre o planejamento financeiro e sobre a reserva de emergência, são dois tópicos importantes para se ter como base para o que vou falar aqui.

Vamos lá então.

Ao escolher um investimento deve-se primeiro entender o seu objetivo com aquilo, e analisar três itens muito importantes de cada produto que são: liquidez, rentabilidade e segurança.

A liquidez se refere ao quão rápido um ativo pode ser convertido em dinheiro, pense dessa forma, se você possui uma aplicação na caderneta de poupança, basta solicitar ao banco o resgate que no mesmo dia, ou no máximo no dia seguinte o valor estará em sua conta, salvo claro, feriados e finais de semana, mas vamos ser razoáveis neh. Já um imóvel por outro lado leva um tempo bem maior para ser liquidado, caso precise se desfazer de uma casa ou apartamento rapidamente é muito provável que precise vendê-lo abaixo de seu preço para poder receber aquele recurso, e mesmo assim existe toda uma burocracia que acaba por tomar alguns dias.

Já a rentabilidade será o quanto o seu investimento irá render, ou se valorizar de acordo com o que foi acordado, é importante salientar, que existe rentabilidade negativa, como na renda variável, por exemplo.

Por último, temos a segurança, que irá refletir o risco que você está disposto a correr com um investimento e assim ganhar ou até perder com ele, geralmente quanto maior o risco maior deve ser sua possibilidade de rentabilidade.

Estes itens são importantes pois, cada investimento tem suas características próprias e cada um irá servir para um objetivo diferente. Se você está disposto a deixar a liquidez de lado, mas não abre mão da segurança pode escolher opções de investimento mais longas, que lhe deem uma boa rentabilidade, mas que só possam ser liquidados em seu vencimento.

Ações por outro lado tem uma boa liquidez e ótimas oportunidades de rentabilidade, contudo o risco de haver uma queda no dia que você vai precisar daquele recurso também é muito grande, por isso é importante entender bem o seu investimento antes de adquiri-lo.

E por onde começar então?

Bom, vou partir do princípio que você, assim como eu, não tem uma renda absurda, ou um bom patrimônio acumulado, mas está buscando iniciar suas aventuras nesse mundo.

Antes de tudo, monte sua reserva de emergência, eu não ia falar porque era chato, mas não podia deixar de lado, fora que essa repetição vai fixar a ideia na sua cabeça.

Quando estamos começando e temos pouco recurso para investir mensalmente o normal é analisar primeiro as opções do nosso banco, e contatar o gerente da nossa conta para nos ajudar.

O grande problema disto é que o gerente irá lhe oferecer produtos do banco dele, que servem para grande maioria das pessoas, estas pessoas não se informam tanto sobre investimentos, só querem algo que renda alguma coisa de forma segura e sem muita chatice.

Você por outro lado é um leitor do melhor blog do mundo, que possui um dos escritores mais humildes e legais, por isso estará um pouco mais informado que a maioria.

O grande problema dos produtos de bancos grandes é que eles oferecem uma baixa rentabilidade, mesmo se comparados com títulos públicos que são até mesmo mais seguros, lembrando que você deve seguir o princípio de que, se vai abrir mão da segurança é para buscar maior rendimento, o contrário não faz o menor sentido, porém é isso que o banco acaba nos oferecendo.

Uma forma de fugir desse problema é aplicar em títulos públicos direto pela corretora de seu banco, ou talvez, o mais indicado em minha opinião é ir atrás de uma corretora de sua confiança. O maior inconveniente nesse ponto seria o pagamento de TED mensal que acaba por corroer suas aplicações, esse caso até tem solução, que seriam as contas digitais, o problema é que na data que escrevo esse artigo são poucos os bancos que ainda oferecem esse serviço.

A estratégia caso não consiga um TED free todo mês seria acumular um valor legal durante alguns meses e aí sim passar o valor para corretora, valores acima de R$ 1000,00 já seria algo bacana, caso a sua TED fique próxima a R$ 10,00, por exemplo, você estaria deixando ali 1% do seu investimento, pode parecer pouco, mas é difícil encontrar algo que renda mais que isso na renda fixa, enfim, quanto maior o valor repassado a corretora menos impacto terá a TED, acho que isso ficou claro.

Beleza entendi a parte da corretora, e agora o que eu faço…

Minha sugestão é iniciar seus investimentos pela renda fixa, pode ser o Tesouro Direto, um CDB de banco pequeno, ou mesmo um fundo DI.

Mas o que são todas essas coisas?

Então pessoal, para alguns esses produtos podem já ser conhecidos e para outros talvez não, por isso me proponho a explorar melhor estes assuntos nos próximos artigos, mas vou concluir aqui para não perder  o foco.

Uma vez que conheça os produtos que citei você deve iniciar seus investimentos com produtos que atendam seus objetivos, vamos supor que você tem R$ 2.000,00 disponível na sua conta da corretora e seus principais objetivos no momento são iniciar uma reserva para aposentadoria e fazer uma viagem daqui três anos.

Os investimentos em títulos do tesouro são os mais democráticos nesse sentido, apesar de não serem os mais rentáveis, uma boa opção para quem quiser iniciar seu plano de aposentadoria é o Tesouro IPCA, de preferência com o prazo mais estendido possível se você for jovem é claro e sem o pagamento de juros semestrais.

Já para viagem com um valor de R$ 2.000,00 mesmo na corretora ainda pode ser difícil encontrar um investimento que aceite um valor inicial assim, sugiro acumular parte disto no tesouro Selic, ou um fundo DI, e fazer aportes em um CDB ou LCI que rendam um pouco mais após juntar um montante considerável, sempre lembrando de verificar o prazo de vencimento do título, pois não adianta conseguir uma rentabilidade muita acima da média se não houver liquidez no prazo previsto.

De forma resumida você deve sempre casar o seu investimento com um objetivo bem definido, nos próximos artigos pretendo comentar um pouco mais sobre cada produto e detalhar melhor vários pontos que deixei pendentes nesse post.

Não era a intenção mais ficou bem extenso esse artigo, vou tentar ser mais breve nos próximos.

Até a próxima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s