Ajustando seu Orçamento

Talvez uma das partes mais chatas em lidar com suas finanças é a hora de preencher e atualizar seu orçamento, seja na planilha do excel, no antigo caderno da escola ou aquela agenda que ganhamos, mas que ninguém nunca usa.

Apesar de ser inconveniente o orçamento é necessário, sem ele na verdade não há como fazer um planejamento adequado.

Mas quanto devo gastar em cada área? Qual percentual destinar para gastos essenciais e quanto separar para os investimentos?

Não existe uma regra geral, tudo vai depender de quanto se ganha, em que pé estão suas finanças, ou quão comprometido você estará com seus objetivos. Mas a sugestão é a seguinte: 60% para os gastos essenciais, 20% para seus investimentos e 20% para fazer o que bem entender, não há regras para os últimos 20%, pode gastar tudo em bacon? Sim.

O bacon na verdade é um gasto essencial.

Só 20% para eu gastar com o que eu quero? Eu sei que vai ter alguns que vão reclamar, parar de ler o blog e fugir para as colinas, por isso eu disse que depende, para quem argumenta desta forma eu pergunto: só 20% para realizar seus sonhos? Fica aquela discussão infinita.

Há salvação. Está dentro dos 60%, gasto essencial pode ser visto de uma forma diferente, e não precisa ser somente aquilo que você precisa para viver, como comida e água. O que é essencial para alguns pode não ser para outros, por isso cabe a você definir o que é realmente necessário para si. Se você não consegue ficar sem o pacote de TV a cabo, jogue essa despesa para os gastos essenciais, alegria é um item essencial da nossa vida.

Só não vale dizer que tudo é essencial e depois descobrir que não cabe dentro dos 60%, por exemplo, preciso comprar 3 pares de tênis todo mês, nem mesmo o Phillip Knight concordaria.

Fazendo desta forma os ajustes podem parecer menos dolorosos, e aqueles 20% de gasto com qualquer coisa começam a fazer mais sentido.

Lembre-se de se pagar primeiro, ou seja, uma vez que seu orçamento esteja em ordem, assim que receber seu salário já invista aquela parte destinada a realização de seus objetivos, essa é a função principal do orçamento, permitir que você tenha mais controle sobre suas finanças.

Não é só isso

Uma outra função do orçamento é lhe permitir saber quanto você precisa para formar sua reserva de emergência, uma vez que você tem planilhado quanto gasta mensalmente, basta multiplicar o valor por 6, ou por 12 se deseja mais segurança e você já sabe o valor que precisa acumular para formar seu colchão financeiro.

A questão de utilizar um percentual do seu salário para cada área do orçamento permite fazer ajustes mais adequados caso haja aumento ou queda da sua renda mensal, caso opte por definir um valor fixo é importante lembrar dos meses com despesas extraordinárias, como janeiro (IPTU, IPVA) ou dezembro (festas de fim de ano).

Bem pessoal, o orçamento não é a alegria das suas finanças, mas somente com ele pronto é que conseguimos saber o quanto é possível poupar todo mês e assim definir e planejar melhor nossos objetivos.

Lembrando que ninguém precisa ir morar em uma caverna como forma de economizar com aluguel ou moradia, por isso espero que entendam a parte dos 20% para despesas supérfluas.

E sim, se quiser saber quem é Phillip Knight, você vai ter que jogar no Google.

Até mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s