Datas de carência e vencimento dos títulos

Fala pessoal,

O post de hoje vai ser mais conceitual, sem reflexão ou frases bonitas. Será mais informativo, então se você já conhece o assunto vá fazer algo legal. Apesar de ser um tema chato o blog tem como objetivo levar informações sobre finanças, então não poderia ficar de fora.

No geral as datas de vencimento ou carência estão muito mais presentes no mundo da renda fixa. É mais difícil haver esse tipo de particularidade em produtos de renda variável, a não ser em operações mais avançadas, mas aí entendo que quem está fazendo conhece bem o assunto.

Apenas complementando, os produtos de renda variável trazem aquela ideia de propriedade, um bom exemplo seria o investimento em um imóvel, imagine haver um prazo de validade onde você seria obrigado a resgatar o valor do imóvel em uma data específica, não faz sentido.

Já os investimentos em renda fixa geralmente possuem prazos, sendo difícil encontrar produtos eternos, como a poupança, onde você pode deixar o dinheiro rendendo para sempre, mesmo que pouco.

O que são e como funcionam estas datas afinal?

O prazo ou data de carência é um tempo mínimo em que o investidor não terá a possibilidade de resgatar seu título. Durante esse prazo o título rende normalmente, e não significa que o dinheiro sumiu para sempre, apenas que o resgate deverá respeitar o período.

A instituição ou pelo menos espero que isso aconteça, irá alertar o investidor sobre esse prazo sempre que estiver vendendo o produto, e informar se há alguma penalidade caso haja necessidade de resgate antecipado.

No geral a penalidade é perda da rentabilidade, ou até mesmo de uma parte do valor investido, acontece muito com os títulos de capitalização – que não são investimentos.

Já o prazo de vencimento significa o fim do título, ou seja, o valor volta para conta do investidor junto com os juros auferidos na operação e para de render. Cabe ao investidor utilizar aquele dinheiro em algum objetivo previamente estabelecido, ou mesmo reinvestir.

Há um risco oculto aqui, vou citar apenas para deixar o link, o risco de reinvestimento.

Algo que também pode ocorrer é a data de vencimento e carência do título serem as mesmas. Nesse caso o investidor só terá direito ao resgate do título, no momento do seu vencimento, característica comum dos RDB’s.

Qual a diferença no fim das contas?

A principal diferença é que um título não precisa vencer, para ser resgatado, mas vai precisar passar pelo prazo de carência para que isso ocorra.

Nem todo investimento tem prazo de carência, mas a maioria deles terá um prazo de vencimento.

Na prática é possível resgatar um título antes de seu vencimento, caso dos CDB’s de liquidez diária, ou dos títulos do tesouro direto. Lembrando que há possibilidades de perda no tesouro em resgates antecipados, entenda melhor aqui.

Bom pessoal, os conceitos são estes, se sobrou alguma dúvida deixem nos comentários.

Até mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s